terça-feira, 17 de fevereiro de 2009

ANJOS ALEIJADOS
(Flávio Leite)

Foi olhando para o que chamam de azul do céu
Que eu descobri que não existe um dia igual ao outro.
Beijando os seus lábios, provando o seu gosto
Descobri, definitivamente, que não há mulher igual.

Quando você fugiu dos meus sonhos
Disse-me que não suportaria uma mulher assim ao meu lado.
Foi uma pena você não ter me dado tempo de explicar
Que o seu temperamento eu engoliria antes mesmo de ter mastigado.

Nossas riquezas e pobrezas teríamos compartilhado,
Se o seu mundo hoje distante não fosse tão longe;
Nossas forças e fraquezas teríamos compartilhado,
Se o seu coração que vai longe não estivesse tão distante.

Estive me procurando por entre as estrelas ontem à noite,
Mas acabei encontrando apenas seus os olhos lacrimejantes.
O seu medo de se arriscar não aleijou apenas um anjo,
Deixou aqui na Terra dois solitários que poderiam ser amantes.

Nenhum comentário:

Postar um comentário